Postado dia 13/10/2014 às 10h18 - Atualizado em 13/10/2014 às 10h19

A VILA OLARIA

Era um lugarejo chamado Mato Grosso, com poucos moradores, em casas simples de madeira com telha de calha, ou de barro coberta de palha... Situado entre Armação e Gravatá, um caminho levava até a Praia Vermelha, propiciando assim a captura de mariscos da pedra, pesca de tarrafa ou caniço e especialmente tainha de cerco nos meses de safra. Vida pacata sem muita expectativa de desenvolvimento.

Mas lá pelos idos de 1950/60, oriundo de Canelinha, no vale do rio Tijucas, veio um cidadão interessado em montar uma Olaria, pois a qualidade do solo ali era própria para a fabricação de tijolos e telhas. Tratava-se de Pedro Patrício Pereira de Melo que primeiro se preocupou em adquirir terras suficientes para extrair a matéria-prima necessária ao seu serviço. Seu Pedro da Olaria, conforme passou a ser tratado, tornou-se um líder na comunidade, representante político e um grande servidor. O negócio prosperou e a olaria passou a ser a referência do lugar.

Vizinha às terras de Seu Pedro a senhora Dona Jarmila comprou uma vasta área, com frente para a estrada geral, e ali transformou numa fazenda. Nesse meio tempo, Seu Pedro da Olaria recebe a visita de um cidadão interessado a fazer negócio com terras, de preferência uma grande área onde pudesse realizar seus planos de investimento. Resumindo: tratava-se de João Batista Sérgio Murad, que a partir de 1981 popularizou-se como famoso Beto Carrero.

E assim a comunidade cognominou-se Vila – nome já então associado ao requintado hotel construído no chão da antiga olaria do Seu Pedro Patrício: Hotel Vila Olaria – marco central da já então próspera comunidade também citada como bairro do município de Penha. Ali já tem a estrutura de cidade com várias unidades da rede hoteleira, restaurantes, pizzarias, supermercados, salões de beleza, lojas, panificadoras, lanchonetes, clínicas de estética, artesanatos, belas residências, ruas calçadas, comunidades religiosas e tudo o mais que se possa exigir de um lugar que cresce. Sobretudo, faz frente com as portarias de serviço do majestoso Parque Beto Carrero World.

O caminho que leva à Praia Vermelha hoje se chama Rua Tijucas. Aliás, o nome Rua Tijucas foi sugerido pelo Seu Pedro Patrício, em homenagem à sua região de origem.