Postado dia 20/11/2015 às 13h58 - Atualizado em 22/11/2015 às 14h07

Padre Cláudio – 21 anos

No próximo dia 30 de novembro faz 21 anos que padre Cláudio Cadorin partiu para o além. 21 anos que sua presença física nos deixou, mas sua lembrança permanece viva para todos aqueles que o conheceram e com ele conviveram. Não é possível esquecer aquela figura aparentemente frágil, porém de uma energia espiritual tão grande que seria capaz de remover montanhas, conforme diz a bíblia, pela força da fé. Para ele não havia o impossível. Sua convicção para combater o mal deixava as pessoas que o procuram abismadas. Simplesmente dizia: - Isso não é nada... Já vai passar!


- Como não é nada – disse o marido da mulher em convulsão de choro – ela está assim há uma semana...


- Mas agora ela está melhor... É alguma coisa do seu próprio íntimo que abalou o emocional... Ela já está bem.


E a mulher sorriu agradecida.


Assim era o Padre Cláudio Cadorin: humilde, atencioso, estava sempre pronto a servir. Gostava de cinema e tinha alguns projetores desses antigos... Admirava a capacidade do homem no campo da tecnologia. Não conviveu com a internet nem com a telefonia celular. Imagine o que diria a respeito. Era avançado em ciências e concordava que os carros do futuro dispensariam os motoristas e que eram equipados com sensores para evitar batidas... Gostava de humor sadio. Devoto de São José, à quem recorria nos momentos difíceis, sempre teve a certeza de encontrar soluções.


Faz 21 anos que ele faleceu quando estava em missão religiosa pelo interior do Estado da Bahia. Para muitos foi um santo aqui na terra.