Postado dia 21/11/2015 às 13h59 - Atualizado em 22/11/2015 às 14h04

Diário - Agenda - Facebook

Um amigo postou uma imagem fazendo-me refletir e relembrar a década de 80, época em que escrever um diário era bastante comum. Mas será mesmo que o uso da internet tem realmente paralelo ao uso dos diários? Quais as semelhanças ou diferenças do que se escreve usando a internet (em especial, Facebook) e os diários?


O diário era um caderninho íntimo. Geralmente, os diários tinham uma chave e era muito popular entre os adolescentes. Era uma época em que ser adolescente representava ter um bloqueio de conversa sobre alguns assuntos com os pais ou amigos. E quem era adolescente expressava seus sentimentos em sua agenda íntima. Era uma conversa consigo mesmo, com o próprio diário ou com um amigo imaginário. Na década de 90 o diário íntimo deixou de ter chave e passou a circular nas mãos dos colegas para que esses escrevessem alguma coisa. Era a famosa agenda! Entretanto, secreto mesmo era o diário. O eventual leitor não podia escrever no diário. Se fosse amigo íntimo do dono poderia ler somente. Na agenda, caso o dono deixasse, era possível escrever o que quisesse, além de colar papéis de bala, ingressos de cinema, bilhetinhos, fotos etc.



Pelo caráter mais íntimo, mais tímido, o diário nada tem a ver com as redes sociais. Penso que a agenda é mais próxima do Facebook. O adolescente que tinha a agenda mais escrita por amigos demonstrava ser popular. Assim como no Facebook, os donos das agendas incentivavam os amigos a curtir o que era escrito (geralmente poesias e letras de músicas); pediam para escrever nas datas de seus aniversários; e colavam fotos dos momentos mais marcantes. Assim como no Facebook, era possível escrever qualquer bobagem e ganhar popularidade.