Postado dia 07/10/2014 às 12h10 - Atualizado em 07/10/2014 às 12h12

O Bebê Vem Com A Cegonha

Quem tem filho pequeno ainda vai ouvir a pergunta (se ainda não ouviu): - “Papai, como eu nasci?” Nada mais embaraçoso do que explicar a uma criança de 4 ou 5 anos algo tão complexo e, por que não dizer, cheio de tabus. Mas afinal, de onde vem essa história de que as crianças nascem da cegonha?

Apesar de ser uma ave com hábitos diurnos, as cegonhas se reproduzem durante a noite. Na Romênia, o povo percebeu que durante uma única noite do mês de abril as cegonhas saiam de seus ninhos e voavam para o acasalamento. Contudo, os romenos tinham um costume paralelo a das cegonhas: as jovens da Moldávia (leste da Romênia) saiam na mesma noite do acasalamento das cegonhas para se encontrarem com seus namorados às escondidas. A “pegação” era geral! Passado o mês de abril, quando as jovens descobriam que estavam grávidas, era anunciado nas respectivas famílias o desejo de casamento com os supostos pais das crianças, antes das cegonhas trazerem os recém-nascidos. Nesse sentido, as cegonhas eram “responsabilizadas” pelas meninas estarem grávidas. Afinal, eram elas que traziam as crianças já prontinhas!

Mas não só de gravidez alheia a cegonha teve sua fama alimentada. Em Roma ela era ligada aos cuidados que os filhos deveriam ter com os pais idosos. As cegonhas costumam cuidar de seus pais... Os romanos chegaram a criar uma lei chamada Lex Ciconaria (Lei da Cegonha) que obrigava os filhos cuidarem de seus pais durante a velhice. Entretanto, as cegonhas também possuem costumes não muito meigos... Na África, as cegonhas ao voltarem da migração, têm costume de matar aqueles que retardam o voo. Essa matança acontecia também numa única noite de abril (sempre abril). Dizem que no Quênia, nesta noite de abril, matar crianças era permitido... Era só deixar a criança que tinha alguma doença incurável ou deficiência já falecida entre as cegonhas mortas e o crime estava encoberto e perdoado. Entre alguns europeus medievais, caso a cegonha pairasse perto do cadafalso ou árvore onde um condenado à forca estivesse esperando a hora derradeira, a pena de morte era suspensa imediatamente. A cegonha trazia um anúncio de que o condenado era inocente e deveria viver...