Postado dia 25/04/2010 às 00h00 - Atualizado em 15/09/2014 às 18h53

O terno de reis

None

Na atualidade, fazer a cantoria do terno de reis nas casas durante a noite pode gerar até confusão. Nos tempos modernos onde a individualidade é regra, o barulho da cantoria dos trovadores de terno de reis pode gerar até desordem. E a qualquer momento um visinho incomodando pode chamar a polícia para pedir que se acabe com o barulho e, portanto, a festa tem que acabar. Mesmo assim, existem multas pessoas que como seu Nino de Armação, que canta em verso esta tradição.



O Terno de Reis foi trazido para o Brasil pelos colonizadores luso-açorianos e é mantida principalmente no litoral do Brasil e no meio rural. Adaptado aos folguedos lusitanos, o Terno de Reis canta sua história durante o mês de dezembro até o dia 6 de janeiro. Os grupos formados por cantores e instrumentistas percorrem as casas do início da noite ao amanhecer.



No passado nossa região, a grande maioria de casas não possuía muros e famílias se reuniam em terrenos grandes onde colocavam suas casinhas para morar. E é de dezembro a janeiro se praticava a cantoria de Reis. Cantores, violeiros e trovadores, saiam no início da noite fazendo visitas nas casas, uma por uma, até varar a madrugada. As famílias recebiam o terno com muito carinho e sempre uma lembrancinha eles recebiam e quem podia até dava um dinheirinho.



A apresentação se dividia em três partes. Na chegada, saúdam os donos da casa e pedem licença para entrar. No segundo ato, louvam o menino Jesus em frente ao presépio. A cantoria é interrompida quando o dono da casa, seguindo o exemplo dos Reis Magos, presenteia o grupo com bebidas e comidas. A apresentação se encerra com o agradecimento e despedida. Segundo a cultura popular quem recebe o Terno de Reis em sua casa é abençoado.



Mas hoje, esta tudo muito diferente, Nas casas é difícil se entrar, os muros são altos, os participantes são poucos e a ajuda do poder público pra manter essa tradição é pequena, se não nula. Mas vozes continuam a esperar como os reis magos que segundo a tradição viram uma grande estrela brilhar e a seguiram, para seu objetivo alcançar. Estamos cheios de estrelas, só falta fomentarem.