Postado dia 19/05/2009 às 00h00 - Atualizado em 15/09/2014 às 18h53

O voto de cabresto

None

Estamos em clima de eleição, discussões políticas são feitas pra todo lado e disputas são acirradas pra saber quem irá vencer e ser o próximo prefeito ou vereador. As novas tecnologias nos trouxeram a urna eletrônica e em pouco tempo já podemos saber quem irão ser os vitoriosos. Mais há um tempo não muito distante, votávamos com o papelzinho e o risco de ter fraudes era muito grande.

Houve tempo em que se votava abertamente, portanto, não existia o voto secreto. As pessoas tinham que chegar ao local de votação e declarar o voto. Isto fazia com que os poderosos manipulassem a massa da população do jeito que queriam. Havia o famoso voto de cabresto onde os eleitores escolhiam em quem votar a mando de um poderoso da cidade que era chamado de Coronel. Geralmente era o homem mais rico do lugar, que escolhia o seu candidato e o restante da população tinha que votar em quem ele escolhesse, e ai daquele que não votasse. Havia capangas por todo lado, inclusive de armas na mão, de vigia e na hora que a pessoa ia declarar o seu voto, tinha que ser no escolhido do coronel. Resultado. Antes mesmo da eleição, já se sabia quem era o vencedor, a menos que dois poderosos disputassem o mesmo espaço, e ai, à guerra estava pronta.

Houve outro tempo no Brasil, na época do Império em que o voto só podia ser feito com quem tinha muito dinheiro, porque se pagava pra votar. Para ser candidato se pagava uma quantia ainda muito maior. Resultado, só as elites participavam da vida pública do país. E o povo? Há, o povo era apenas um detalhe, o que importava era se manter no poder, custe o que custar. Por exemplo, quem se elegesse para ser senador tinha o mandato vitalício, isto é, eleito uma vez só saia do poder depois de morto.

Hoje votamos livremente e secretamente e temos em nossa mão a responsabilidade de colocar no poder quem tem compromissos reais com a população. Vote sempre com quem está compromissado com o interesse da coletividade, isto é da saúde, educação, cultura, de políticas para juventude, emprego e renda. Vote certo e não seja cabresteado.