Postado dia 31/08/2009 às 00h00 - Atualizado em 15/09/2014 às 18h53

Os barbeiros

None

Hoje é comum encontrarmos vários salões de beleza espalhados por toda região. A beleza, principalmente feminina é medida não só pelo corpo, mas também pelo modelo de cabelo ou maquiagem que usam. As barbearias, salões essencialmente masculinos, estão perdendo espaço para os salões de cabeleireiros. São poucas as casas do ramo que oferecem este serviço.



As barbearias, no passado foram muito importantes para cotidiano de muitas pessoas. Por ser um espaço essencialmente masculino, e a política também ser dominada por homens, que com freqüência estavam em barbearias, estes locais eram de intensa disputa e tramas eleitorais. Aconteciam discussões acirradas sobre campanhas e governos. O barbeiro que cortava de todos e sabia segredos de todos, era pessoa muito requisitada, mas para ter uma boa freguesia geralmente só ouvia e se fosse esperto o que sabia os guardava a sete chaves.



As barbearias também eram uma espécie de farmácias, onde muitas pessoas resolviam seus problemas de saúde, o barbeiro muitas vezes era considerado o médico e cirurgião da comunidade, faziam benzeduras, manipulavam raízes medicinais e até a sangria, barbeiro sangrador foi uma profissão que existiu no Brasil desde o início da colonização e só foi proibida em 1870. Além disso, eram muito procurados para tratamento dentário.



O barbeiro no Brasil colônia, era uma espécie de caixeiro viajante, que rondava de comunidade em comunidade a cortar cabelos e a fazer barbas, além de vender uma série de produtos, atendiam com benzeduras, fazendo sangrias e especialmente levavam notícias de outros lugares para o povo que sempre os esperava para saber das novidades.



Na atualidade, existem poucas barbearias em nossa região que ainda resistem. Profissionais que não são mais como os de antigamente, mas alguns são procurados como bons massagistas, como é o caso do Nicanor em Penha ou o Claudio e o seu Braz em Piçarras, famoso por suas benzeduras e bom contador de histórias. Quer saber de um bom causo, visite o seu Braz e terá uma bela história.