Postado dia 08/10/2014 às 12h54 - Atualizado em 08/10/2014 às 12h56

Consequencias locais das eleições gerais

►A eleição vai ser neste domingo, mas por conta dela, já podemos ver algumas consequências no que podem ser as eleições municipais de 2016 por causa da boataria resultante.

►Foi experiente político de Penha que comentou comigo: Johnny Coelho (PP) sabe que é difícil se eleger a deputado estadual. A perspectiva dele é ser bem votado na Penha para reforçar a articulação do seu nome como vice-prefeito na chapa do pré-candidato a prefeito do PMDB, Aquiles José Schneider da
Costa. E se Johnny for muito bem votado, periga até o PP querer construir uma terceira via com outros partidos.

►Outra fofoca que ouvi essa semana vinda de liderança política ligada ao atual governo municipal: o vereador Felipe Rebello Schmidt (PSD) estaria sendo seriamente cogitado para ser vice na chapa do PMDB, sacrementando uma poderosa aliança que poderia determinar os rumos da próxima eleição municipal. Resta saber se a proposta veio do PSD ou PMDB. E se é pra valer, ou apenas blefe pra ver se o PSDB topa finalmente discutir o nome do PSD para vice na próxima chapa liderada pelos tucanos, pois se eles não toparem, o PMDB estaria mais do que a fim de topar.

► Aquiles e o PMDB estão igual uma das princesas de idade média cheia de pretendentes. Haveria até conversa com o DEM, partido que busca ampliar suas opções para não ficar refém do PSDB caso eles preferam fechar com o PSD. O PR também está tentando forçar a barra propondo uma “terceira via” pra ver se cola um vice na chapa peemedebista. O PT está quietinho, confiante em pesquisa que aponta que o eleitorado gostou da dobradinha Aquiles e Carlos. O PMDB vai ter que saber administrar muito bem essa situação se quiser construir uma coligação tão forte quanto a e que elegeu o prefeito Evandro duas vezes.

► É interessante o assédio a campanha peemedebista. Até parece que alguns aliados do atual prefeito já dão a eleição por vencida. E o PSDB com tudo isso? Bom, como analisou uma das lideranças bicudas, num cenário que tiver pelo menos três chapas, o que parece inevitável porque não haverá chapa pra acomodar tanto vice, a chapa governista sai na frente, ainda mais se continuar contando com apoio das principais liderança religiosas da cidade, que aqui são mais importantes do que as políticas. Não esquecendo que o PSDB ainda é o maior partido em números de filiados e não por acaso tem cinco vereadores.

► O voto do vereador Oswaldo Moreira (PT), contra a rejeição das contas do ex-prefeito Umberto Teixeira (PP) na câmara de Balneário Piçarras, colocou os governistas de cabelo em pé.

► O relatório do tribunal de contas (TCE) recomendou a aprovação com ressalvas das contas do ex-prefeito. O vereador Nico Beduschi (PT) propos reenviar as contas para o TCE examinar com base em novos dados que ainda não tinham sido remetidos ao tribunal na época da análise das contas do último ano de mandato do ex-prefeito. Trata-se é claro, dos gastos a mais realizados na recuperação da praia que não foram aplicados na sua totalidade na obra.

► Oswaldo no entantou votou contra a proposição do colega do próprio partido, dando uma pequena vitória para o ex-prefeito e o Partido Progressista. Muita gente está vendo no voto uma manobra que reflete aproximação do vereador com os vereadores do PP e PMDB para uma futura composição na próxima mesa diretora da câmara, a ser definida no fim deste ano.