Postado dia 28/02/2015 às 13h48 - Atualizado em 17/03/2015 às 13h50

Enfim a redução do recesso parlamentar em Penha

Enquanto isso, Ministério Público obriga prefeitura a refazer as travessias elevadas

►A Câmara de Vereadores de Penha deve finalmente aprovar a redução do recesso parlamentar. Na primeira votação, a proposta da mesa diretora de reduzir o recesso de 90 para 44 dias foi aprovada por unanimidade. A segunda votação deve acontecer na terça-feira, novo dia das sessões da câmara de vereadores.

► Penha assim sai da vexaminosa de um dos poucos, senão único município de Santa Catarina ainda a ter 90 dias de recesso para seus vereadores. E pensar que há 10 anos atrás, em 2005, a cidade foi uma das primeiras a reduzir o recesso, através de projeto de lei do então vereador Nicélio Assi Veloso (PT). Quis o revanchismo, e a apatia da população, que o recesso voltasse a ser de 90 dias em 2009, durante a gestão do então presidente José Antônio Bastos (DEM).

► Os vereadores voltaram a toda depois do recesso de 60 dias de verão. A pauta das sessões dessa semana foi movimentada, e em comum, mostra que mesmo sendo da base de sustentação do governo, muitos vereadores alertam para problemas de infra-estrutura do município, pedindo consertos de bocas de lobo, tubulação, ruas esburacadas, em praticamente todos os bairros do município.

► Os vereadores tucanos não deixaram de cobrar a realização de promessas feitas pelo governo municipal. O vereador Claudinei cobrou a construção do parque infantil no Jardim de Infância Nossa Sra de Penha no Gravatá, enquanto o vereador Jefferson Custódio apresentou requerimento questionando porque as câmeras de segurança instaladas em Penha ainda não estão funcionando.

► Já o vereador Adriano Tibeco cobrou a instalação das prometidas placas de sinalização no município. No ano passado a prefeitura chegou a divulgar que estava adquirindo as placas, mas a licitação acabou cancelada. O secretário de planejamento Evaldo Eredes dos Navegantes confirmou que não só a licitação está sendo feita, como a instalação das placas se dará nesse semestre.

► O presidente da câmara, Felipe Rebello Schmidt (PSD), pediu oficialmente em requerimento ao prefeito a doação de um terreno para a construção da futura sede do legislativo municipal. Uma necessidade há muito adiada, com o tempo traria uma economia ao erário público, que hoje paga 4.500 reais mensais de aluguel no prédio que a câmara ocupa.

► A prefeitura foi acionada pelo Ministério Público e vai ter que substituir todas as travessias elevadas que instalou na Avenida Eugênio Krause. Um erro que significará alguns reais a mais que poderiam ir para obras novas. É mais um exemplo que a falta de fiscalização e cuidado na hora de fazer as coisas acaba custando caro para a municipalidade, no futuro.

►Infelizmente não é a primeira vez, como os recentes problemas nas escolas Antônio José Tiago e Rubens João de Souza, onde instalações novas já tem problemas de infra-estrutura, assim como no novo prédio do P.A. ou na rodovia inter-bairros na Santa Lídia, onde o que era pavimento está voltando a ser estrada de chão. Falta fiscalização por parte da prefeitura na hora de fazer a obra, ou falta gente com capacidade técnica pra fiscalizar?

► O prefeito Evandro trocou três secretários municipais, e a rádio corredor comenta que pode haver mudança em mais três secretarias. Se é por questão de cobrança ou reajustes políticos em vistas das próximas eleições, só o tempo dirá.