Postado dia 11/10/2015 às 11h30 - Atualizado em 11/10/2015 às 11h48

Ida de Júlio para DEM mostra tendência de vários candidatos a prefeito na próxima eleição

"Muita gente está sentindo que é o momento deles de se eleger prefeito. O Júlio, o Jefferson, o Felipe... querem ser candidatos porque sentiram que agora é a hora" Reginaldo Waltrick, chefe de gabinete da prefeitura de Penha

►Tradicionalmente 30 de setembro era a data limite para filiações nos partidos para aqueles que pretendem ser candidatos nas eleições do ano que vem. Mas devido a recente mudança na lei eleitoral, a “janela” foi esticada até março! Então ainda há bastante tempo não só de surpreendentes trocas de partido acontecerem, como até de alguns se arrependerem e voltarem atrás!

► Falando em arrependimento, o ex-vereador (Ales)Sandro da Silva deixou o PSDB e deve voltar a ser candidato, agora pelo PMDB. Uma troca de impacto, se lembrarmos que Sandro junto com o Secretário Cleiby Darossi fazia parte de um circulo próximo de amigos que o prefeito Evandro cultivava desde vereador.

► A direção do PMDB diz que está muito contente com o resultado das filiações de setembro. Num saldo em que houveram 5 conhecidas desfiliações, 40 novos egressos derem saldo mais que positivo.

► A entrada do empresário Júlio César sacramenta que o DEM terá candidato próprio a prefeitura? Segundo Júlio, sim. Quem externou opiniões bastante animadas em relação a um bom número de candidatos a prefeito foram os pré-candidatos do PSDB, Reginaldo Waltrick e Adriano Tibeco.

► Ambos consideram que o partido não tem menos de 40% dos votos hoje na Penha, e que o grande número de candidatos vai dividir os votos de quem está “insatisfeito”, mas a população que quer a contiuidade do governo terá um só candidato em quem votar.

►Num cenário de várias chapas e pequenas coligações, parece mais certo inclusive que até o PSDB possa concorrer com chapa pura. Tibeco e Naldo são justamente dois nomes apontados que poderiam vir para vice, se não forem a prefeito. O vereador Claudinei é outra opção de vice, uma vez que o nome do vereador Jefferson parece cada vez mais consolidado como de candidato a prefeito da sigla.

► No entanto, fonte segura comentou que uma possível saída do DEM do governo, resolveria o problema com o PSD, que apesar de insistir que tem candidato a prefeito na figura do vereador Felipe Rebello Schmidt, iria mesmo é indicar a pastora Terê para ser vice numa possível chapa do PSDB. No entanto, outro experiente político local disse que Terê poderia ser vice sim, mas em OUTRA coligação. Quanta especulação!

► O mesmo político me disse que Terê não precisaria estar no PSD para ser vice nessa coligação, já que estão buscando ela, a pessoa, e não a sigla (o PSD). Com a nova janela extendida até março, a "tentação" com certeza vai ser grande.

► Uma vez que a janela permitirá inclusive que VEREADORES não percam mandato se trocarem de sigla em março, pelo menos dois vereadores e dois suplentes estarariam pensando em trocar de legenda! O mesmo vale pra alguns secretários e diretores, afinal quem quer ser candidato terá que abandonar os cargos de confiança em março mesmo.

► Pra resumir, se nota muito que certos políticos estão até a fim de abandonar o apoio ao atual governo, mas querem fazer isso só no último minuto possível, quando serão logicamente obrigados a abandonar o cargo, por causa da lei eleitoral. Daí é questão de unir o "obrigatório" ao "agradável". Mas princípios à parte, receber o ordenado do prefeito Evandro até quando puderem, ninguém quer abrir mão.