Postado dia 06/06/2014 às 19h09 - Atualizado em 15/09/2014 às 19h46

Vereadores de Penha cobram mais transparência do governo municipal

None

► No começo desta semana, a vereadora Maria Juraci (PMDB), apresentou requerimento pedindo documentos que comprovem que a prefeitura cobrou das empreiteiras que construíram/reformaram os postos de saúde e pronto-atendimento (PA) de Penha o conserto das obras, que findo pouco mais de um ano de suas inaugurações, já estavam apresentando problemas de estrutura.

► Juraci está indignada em saber que a prefeitura pretende utilizar recursos solicitados ao governo federal para reformar as obras mal-feitas, dinheiro que, lembra a vereadora, poderia ser usado para fazer obras novas. A legislação determinada em cada contrato pelo menos um período de “seguro” em cada obra entregue por uma empreiteira, de forma que se uma construção feita por elas comece a “desmanchar”, elas tem obrigação de arrumar.

► Juraci quer saber se a prefeitura realmente esgotou todos os meios legais de se cobrar que essas empreiteiras, que foram contratadas pela prefeitura, arrumassem o que claramente se verifica como um serviço mal-feito. Outra pergunta que não quer calar é porque a prefeitura continua a contratar as mesmíssimas empresas para realizar outras obras na cidade, e que acabam custando mais caro ao contribuinte, já que o dinheiro dos impostos vai pra fazer a mesma obra duas ou três vezes?

► Até entre os governistas há descontentamento com o atual estado do PA. A vereadora Márcia Pinheiro (PSDB) já cobrou da secretaria de saúde providências para uma reforma, que já é prometida desde o ano passado. Ninguém sabe se a prefeitura está protelando porque não pega bem reformar um prédio que foi inaugurado há menos de dois anos, durante a campanha eleitoral.

► O vereador Jefferson Ademir Custódio (PSDB) apresentou requerimento curioso na câmara pedindo que seja enviada aos vereadores relação de quais parlamentares articularam obras para o município e de fato merecem “o voto do eleitor penhense”.

► Não bastasse a temeridade do uso eleitoreiro da câmara, fica a dúvida da transparência da lista, já que não existe sujeito mais manhoso do que político: na hora que a obra sai todo mundo é pai da criança, “todo mundo deu uma forcinha”. E para piorar praticamente todos os vereadores estiverem em Brasília no decorrer deste ano e do passado pedindo as mesmas coisas para vários deputados e senadores. A orgia foi tal, que agora só fazendo um teste de DNA em cada obra pra saber quem é mesmo o pai de cada criança...

► Se não sabemos o “pai”, a mãe com certeza é o governo federal. Deputado e senador só pede. Não é diferente da indicação de um vereador. Executar é com o executivo. Se o governo não aprovasse e liberasse o recurso, as obras não saiam. Vai uma estrelinha aí, vereador?

► Falando no vereador, Jefferson tem sido novamente citado como pré-candidato a prefeito do PSDB. Fica a dúvida se é pra valer ou pra bateria de fogo do adversário parar de se concentrar no vereador Adriano Tibeco que ao mesmo tempo que projetou sua imagem como candidato também sofreu revezes por virar alvo de críticas dos oposicionistas.

► Tem vereador da base aliada que já comentou que se Tibeco e Jefferson são candidatos, eles também podem ser, pois teriam tantas condições de voto quanto. Evandro pelo visto vai ter que caprichar na cola, pra manter a coligação desse jeito...