Postado dia 03/07/2009 às 00h00 - Atualizado em 15/09/2014 às 18h53

A purificação do Mané

None

Pois é. Quem pensou que o Mané da Dica tinha desaparecido se enganou. Depois da ressaca da Festa do Divino ele voltou com tudo. Chegou lá no Sindicato forte e rijo. E, para quem não sabe, o nosso herói tem sete vidas. Sorridente e feliz começou a papear com seus amigos e logo foi contando a última aventura.



Rapaze, foram 11 dias de reza e de festa. Eu já não podia ver pinhão e sentir o cheiro de quentão. Mas tudo por uma boa causa. Não perdi uma novena e uma procissão sequer. Acho que estou purificado. A Dica, ou melhor, a Dona Encrenca tá agradecendo à Deus até agora pela minha conversão, disse o danado do Mané com aquele sorriso maroto no canto da boca.



Daí, o Antonho da Mariquinha curioso como sempre, perguntou ao Mané porque que ele tinha desaparecido por duas semanas. Qual seria o motivo que teria levado o disgramado sumir do mapa? Todos queriam saber.



E o nosso figura, sempre com a resposta na ponta da língua, rebateu sem dar chances para comentários.



Pobre é uma m... mesmo. A Dica fez roupa nova, eu também gastei parte da minha minguada aposentadoria num novo paletó e num par de pisantes novos. Eu tava bonito que só. Parecia a Fátima Bernardes e o Willian Bona. Tava indo tudo muito bem. Mas o nosso erro foi um só. Dizem que o olho é maior que a barriga. Pois é verdade gente. Que fartura de comida. Nos 11 dias, misturei de tudo: pinhão, doce, churros, língua, maionese, carnes de todos os tipos, lasanha, caldo de corvina, risoto, macarronada e pastel de camarão. Os pratos da Dica inté pareciam o morro da Ponta da Vigia. Pois é, não dizem que dispois da tempestade vem a lambança. Não deu outra. Não qui a comida estivesse estragada. Estragado tava eu. Num sou acostumado com essas coisas, sou do pirão e do peixe. Que disentiria rapaze. Tô inté com a bunda assada. Lá em casa faltou jornal e água na caixa. Foi chá de tudo que é coisa. Folha de goiaba não quero nem ver, devo ter mastigado pra mais de cem. Foi uma correria só. Acho que estou preparado para a corrida de São Silvestre e para a Maratona do Rio de Janeiro. Dispois de tanto esforço fiquei sem energia. Acho que tudo de ruim que tinha dentro de mim foi embora. Acreditem, me sinto purificado, tanto no corpo, como na alma. Mas não me falem tão cedo em lasanha, frango xadrez, risoto e outros bichos. Me deixem com a minha misturinha caseira, esta os meus intestinos já conhecem. Ufa! Acho que vou para casa, tô sentido um leve embrulho na barriga. Será que vai começar tudo de novo?, disparou o Mané.