Postado dia 24/09/2016 às 15h13 - Atualizado em 12/10/2016 às 14h24

Comunidade questiona desmatamento de Mata Atlântica

Prefeitura de Balneário Piçarras autorizou corte nessa área

Moradores de Balneário Piçarras estão questionando a autorização para o corte de vegetação em uma área de mais de 27 mil m² de Mata Atlântica no bairro Santo Antônio. A liberação para desmatamento de 10 mil m² foi dada no início deste mês e surpreendeu a população.


Uma placa com a autorização da prefeitura foi colocada em frente à área que será desmatada, localizada na rua José de Deus Carvalho, ao lado do Centro Educacional Prisma. A situação chamou a atenção da comunidade, que teria ficado chocada, segundo relatou um morador que não quis se identificar. “Essa licença para a supressão da mata viola as regras de proteção ambiental, uma vez que ali se encontram várias espécies ameaçadas de extinção”, reclama.


A autorização informa que a área total do local corresponde a 27.12,36 m², sendo que 4,5 mil m² seriam área de preservação permanente. O documento ainda diz que a vegetação está em estágio de regeneração e elenca as espécies que serão cortadas, como Bracatinga, Maria-mole, Camboatá, Guamirim, Copiúva, Seca Ligeiro, Palmiteiro, entre outras.


Até o momento, o Ministério Público também não recebeu denúncias em relação à área que será desmatada. Já a empresa Baltt Empreiteira - Transportes e Terraplanagem, que solicitou o corte da mata, afirmou que só faz trabalhos mediante licenciamento ambiental. Conforme o engenheiro Jean Pierre, a Baltt sempre segue os quesitos estipulados no licenciamento em todas as suas obras. Ele não relatou qual o objetivo do desmatamento no bairro.