Postado dia 16/01/2018 às 18h04 - Atualizado em 18/01/2018 às 18h27

Geólogos analisam áreas de risco em Penha

Técnicos do Centro de Apoio Científico em Desastres visitaram município nesta segunda-feira
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Penha

Nesta segunda-feira, dia 15, esteve em Penha uma equipe do CENACID – Centro de Apoio Científico em Desastres – um grupo de geólogos que estuda e presta aconselhamento sobre como proceder em áreas com risco de desmoronamento.

Acompanhados pela Defesa Civil de Penha, o grupo visitou as áreas de morraria da Praia de São Miguel e Praia Vermelha, que são as duas regiões com maior probabilidade de deslizamento atualmente. “A situação mais urgente é do Morro da Praia de São Miguel, que pode ser considerada hoje uma área de risco, precisando de ação de recuperação”, apontou o diretor do CENACID, professor Renato Eugênio de Lima.

Na última incidência de enxurradas e inundações que acometeu Penha na semana passada, pelo menos duas casas foram parcialmente destruídas na Praia de São Miguel. Desde a constatação, em maio do ano passado, de que o morro corre risco de deslizamento, a Defesa Civil de Penha tem mantido a área sob monitoramento. O governo municipal já elaborou um Plano de Recuperação de Área Degradada – PRAD, que ficou pronto em outubro. O projeto agora está em fase de captação de recursos para ser realizado, com a possibilidade de ser adotado pela empresa Águas de Penha como parte da repactuação do contrato de concessão com o município.

Já na Praia Vermelha, foi constatado que deve ser feito uma ação lá também, para que a única estrada que dá acesso direto a praia não seja perdida. Durante a chuva da última quinta-feira houve novo deslizamento, e a prefeitura teve que bloquear o trânsito para que motoristas não corressem risco de acidente ao tentar andar na estrada. O governo municipal vai, através da secretaria de planejamento, viabilizar também um plano de recuperação deste local.