Postado dia 17/01/2018 às 18h09 - Atualizado em 18/01/2018 às 18h27

Fundação Catarinense de Cultura assina termo com Prefeitura para restauração da Capela de São João Batista

Prédio histórico mais antigo de Penha vai ganhar projeto de restauração da estrutura e suas obras sacras
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Penha

A Capela de São João Batista, a edificação mais antiga ainda de pé em Penha, construída em 1759 em Armação do Itapocorói, pode começar a ser restaurada ainda este ano. É o que espera o departamento de cultura da Prefeitura de Penha com a adoção do projeto pela Federação Catarinense de Cultura (FCC), que no final do ano passado assinou termo de cooperação técnica com o município. Este documento autoriza a FCC a realizar uma série de ações que irão resultar não só na restauração do prédio histórico, mas também das suas obras sacras, como imagens centenárias de santos.

“Isso é o resultado de uma luta que já começamos no ano passado”, explica o diretor de cultura de Penha, Eduardo Bajara. Através do departamento de cultura, a prefeitura apresentou o pedido de apoio para a restauração da Capela para a Fundação Catarinense de Cultura, em Florianópolis, e conseguiu uma visita técnica dos peritos da FCC em novembro do ano passado. O relatório deles apontou a validade da reivindicação do município, e foi fundamental para que a FCC passasse a ser parceira no projeto.

O termo de cooperação terá validade até dezembro deste ano, ficando a FCC encarregada de uma série de ações, dentre elas promover a higienização e guarda das obras sacras na reserva técnica do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Atecor). A Fundação ainda vai elaborar o termo de referência para a contratação do projeto de restauração da capela e de suas obras sacras, além de auxiliar o município na busca de recursos para as obras.

Para isso se valerá da busca de mecanismos de incentivo, como editais públicos e programas de financiamento de projetos culturais. "Além de garantir o restauro desse bem cujo valor histórico e artístico é incontestável, temos a missão também de auxiliar o município na busca de parceiros para fomentar as atividades de preservação e conscientização naquele espaço após a obra", adianta o presidente da FCC, Rodolfo Pinto da Luz. Um destes parceiros deve ser o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O prédio foi tombado como patrimônio histórico da União em 1998.

Concluída em 1759, a Capela de São João Batista foi construída em alvenaria de pedra, com argamassa de cal do mar e areia. O prédio já teve uma obra de restauração emergencial do seu forro, decorrente de um incêndio, em 2007, mas ainda sofre de problemas como rachaduras, infiltrações, umidade e goteiras.

Para o prefeito de Penha, Aquiles da Costa, a recuperação da Capela é essencial, tanto para preservar a história da cidade, quanto é também um ponto turístico do município. “Esse prédio é testemunha do início da colonização de Penha, e um marco do estilo colonial da época em que foi construído”, apontou. “Temos o dever de restaurá-lo e preservá-lo, para que as futuras gerações e nossos visitantes possam conhece-lo”, disse.