Postado dia 01/12/2017 às 21h44 - Atualizado em 05/12/2017 às 23h54

Noite Cultural celebra os 200 anos da Nova Ericeira na Penha

Fonte: Assessoria de Imprensa

O município de Penha realizou na noite de quinta-feira (30), a 1ªNoite Cultural Folclórica. O evento, que contou com apresentações artísticas, marcou as comemorações dos 200 anos da Colônia Nova Ericeira na cidade. O encontro aconteceu no Porto Penha Food Park, no bairro Armação. A iniciativa teve o apoio da Fundação Cultural de Penha.

O Grupo de Boi de Mamão Infantil, formado por alunos da Escola Básica Municipal João Batista da Cruz, abriu o evento, que foi acompanhado por um público de cerca de 100 pessoas. Dança de São Gonçalo e músicas do Grupo Itapocoróy, do bairro Armação, completaram a 1ªNoite Cultural Folclórica.

O evento teve ainda a exibição do documentário"Navegantes"e de uma roda de conversa com jornalistas, pesquisadores e escritores de Penha e região. Entre eles, Magru Floriano, Rogério Pinheiro, Eduardo Bajara Souza, Dieter Hans Kohl, Isaque de Borba Correa e Cláudio Bersi.

O escritor e pesquisador, Dieter Hans Kohl, de Porto Belo, fez uma apresentação sobre a Colônia Nova Ericeira. Já o escritor Cláudio Bersi, de Penha, falou sobre a história do município de Penha e também sobre a pesca da baleia, especialmente a Armação Baleeira de Itapocorói, fundada em 1778.

Para o jornalista e pesquisador, Rogério Pinheiro, Penha estava no plano de expansão da Colônia Nova Ericeira, mas o projeto foi abandonado após a Independência do Brasil, em 1822.

- A partir de 1821 outras sesmarias foram doadas para expansão da colônia e Penha tinha terras para esse fim. A falta de recursos para os pescadores da Ericeira (Portugal) e a demora para a transferência das terras contribuíram para o fim da Nova Ericeira em 1824. A independência também teve um papel importante, já que todos os projetos de Portugal foram abandonados e a Nova Ericeira era um deles – explica.

Apesar do fim da Colônia Nova Ericeira, a ideia principal de promover a pesca foi mantida.

- Não saiu como planejado e demorou mais tempo do que previsto, mas a pesca em Santa Catarina se destacou no Brasil e isso graças à Nova Ericeira. A técnica pesqueira é o principal legado deixado pela Colônia Nova Ericeira e Penha também faz parte desse legado – conclui o pesquisador.

Nova Ericeira

Em fevereiro de 1818, Dom João VI foi coroado rei de Portugal, Brasil e Algarves. Uma das primeiras medidas já como monarca foi à criação de uma colônia pesqueira no Sul do Brasil. O Aviso Régio de 25 de março de 1818 tornou oficial a ideia sugerida no dia 18 de outubro de 1817, por Justino José da Silva, comerciante e ex-presidente da Câmara Municipal da Ericeira, em Portugal.

Coube ao então Intendente da Marinha de Santa Catarina, o comandante Miguel de Souza Mello e Alvim, a fundação do povoado no litoral catarinense. O local indicado foi a Enseada das Garoupas, hoje cidade de Porto Belo.

Além de Porto Belo, fizeram parte da Nova Ericeira as cidades de Balneário Camboriú, Bombinhas, Camboriú, Governador Celso Ramos (Ganchos), Itajaí, Itapema, Navegantes, Penha e Tijucas.

Os pescadores ericeirenses trouxeram técnicas pesqueiras, que foram repassadas de geração a geração e contribuiu para o desenvolvimento pesqueiro catarinense.