Postado dia 20/09/2017 às 19h41 - Atualizado em 26/09/2017 às 19h35

Prefeitura de Penha articula restauração da Capela de São João Batista

Governo também quer transformar festas tradicionais em “Bens Culturais Imateriais” do Estado
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Penha

Esteve na última terça-feira, dia 19, em Penha, a diretora de patrimônio da FCC (Fundação Catarinense de Cultura) Vanessa Maria Pereira, fazendo a vistoria da Capela de São João Batista, o prédio mais antigo do município, localizado no bairro de Armação do Itapocorói.

A vistoria é o primeiro passo para que a FCC auxilie na elaboração do projeto de restauração da igrejinha que tem 258 anos de idade, e é o marco zero da colonização do município. “Com esse projeto podemos dar início ao processo de captação de recursos para tornar a obra uma realidade”, explica o diretor de cultura da secretaria municipal de educação, Eduardo Bajara, que vem coordenando o trabalho de preservação e recuperação do edifício histórico.

Em agosto passado, Bajara esteve na sede FCC onde além de reivindicar apoio para restaurar a Capela, também discutiu outros projetos de preservação cultural e divulgação de Penha.

A diretora da Fundação disse que além de providenciar a documentação necessária para dar início ao processo tanto de elaboração do projeto quanto de captação de recursos, está colocando a disposição o ateliê da FCC para restauração das imagens de santos e do altar.

Outra reivindicação da prefeitura de Penha é que as Festas do Divino Espírito Santo, de São João e São Pedro em Armação, Mastro de São Sebastião e o Polo de Pesca Artesanal sejam transformados em “Bens Culturais Imateriais” do estado. “Com isso, podemos buscar recursos públicos para realização e divulgação destes eventos”, explicou Bajara. Vanessa sinalizou que a demanda é plenamente possível de ser realizada e já deu entrada no processo de reconhecimento destas atrações por parte da Fundação Catarinense de Cultura.