Postado dia 30/06/2016 às 14h05 - Atualizado em 30/06/2016 às 15h27

Resgate Cultural "batiza" 14 alunos do projeto de capoeira

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Balneário Piçarras

O projeto Resgate Cultural, coordenado pelo professor Aleksandro Zanlucchi, o estagiário Piu, promoveu no sábado, 25, o primeiro batizado de capoeira em Balneário Piçarras. Dos 90 alunos que prestaram o exame, 14 foram aprovados. O evento ocorreu na escola Francisca Borba, no bairro Itacolomi. Marcaram presença no encontro sete representantes de capoeira de municípios como Itajaí, Guaramirim, Barra Velha e Balneário Camboriú.

A programação do evento incluiu aulão infantil, roda livre adulta, batizado, roda mista e samba de roda.

Os praticantes com idade mirim (entre cinco e 10 anos) pegaram o cordão cinza com ponta verde. Já os da infantil ( de 11 a 14 anos) receberam a corda metade verde, metade cinza. Na mesma cerimônia, os capoeiristas da categoria adulto (acima de 14 anos) foram graduados com o cordão verde.

A ação foi uma das contempladas pelo Edital Ivone Pires de Apoio à Cultura 2016.

Piu ministra aulas gratuitas de capoeira às segundas e quartas-feiras, das 19h às 21h, na sede da Associação de Moradores do Conjunto Residencial Sandra Helena, localizada na rua 4000, número 135, bairro Itacolomi. As aulas também acontecem na escola Francisca Borba, pelo programa Mais Educação, às segundas-feiras, das 10h às 11h30, e das 16h às 17h30.

Podem participar das aulas alunos com idades entre cinco e 16 anos. "Basta se dirigir até a Associação de Moradores, em horário de aula, para fazer a inscrição", lembra Piu.

Aulas de teatro
Além da capoeira, o professor planeja incluir outras atividades culturais que envolvam crianças e jovens da comunidade. "Já estamos trabalhando para oferecer também aulas de teatro. A ideia é que os alunos encenem peças alusivas à escravidão e cultura afrobrasileira", revela.

No mês de agosto, os alunos do projeto acompanharão uma peça teatral com o palhaço Picolé, a boneca Lulu e a titia Mari, personagens da igreja Quadrangular de São Bento do Sul.

"Eles fazem teatro com uma linguagem voltada à palavra de Deus. Queremos que a peça seja exibida tanto na Associação de Moradores, quanto na Fundação Municipal de Cultura", adiantou o professor Piu.