Postado dia 08/11/2017 às 19h01 - Atualizado em 09/11/2017 às 19h37

Governo Municipal anuncia reforma da Escola Antônio José Tiago

Assembleia de pais e professores decidiu pela reforma da unidade escolar interditada
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Penha

Na noite de ontem, dia 7, terça-feira, após ouvir a opinião de pais e professores da escola municipal Antônio José Tiago, do bairro Nossa Senhora de Fátima, o prefeito Aquiles da Costa anunciou que o governo municipal irá executar a reforma do prédio, que está interditado desde fevereiro por recomendações do Corpo de Bombeiros Militares, Defesa Civil Municipal e Secretaria de Planejamento de Penha.

O prefeito apresentou para a comunidade o resultado da perícia realizada entre os meses de julho e outubro pela empresa de arquitetura e engenharia Magnus, que foi contratada para periciar as condições estruturais da unidade escolar.

O engenheiro Robson Carlos Santos, que assina a perícia, acredita que a edificação, apesar da deterioração, é passível de reforma, recuperação e futura ocupação. “A estrutura de concreto armado em geral, apesar dos problemas pontuais por aparentes falhas de execução e não cumprimento do projeto apresenta-se estável, no sentido de não haver aparente risco de colapso ou desmoronamento de qualquer peça”, diz o engenheiro no seu relatório. No entanto, ele não garante que novos problemas não possam aparecer. “A reforma não resolverá definitivamente as patologias apontadas, as quais, por questões construtivas ou devido a intempéries e variações térmicas, poderão retornar”, admitiu.

Por conta desse dilema, o prefeito Aquiles da Costa queria consultar a comunidade sobre o que fazer a respeito do prédio: “Tínhamos duas opções: Reformar ou Reconstruir. A comunidade optou pela reforma, ciente que os problemas na construção podem voltar acontecer, e novas reformas podem ser necessárias”, comentou.

O governo municipal também discutiu com a comunidade a situação dos estudantes da escola que hoje estão estudando em instalações improvisadas no salão paroquial da Igreja Cristo Rei, na Cohab. Havia a opção de ocupar quatro salas na escola Horacina Soares Francisco, que fica próxima a Igreja, na Rua Tiradentes, mas os pais preferem que seus filhos continuem no salão paroquial. “Sempre iremos respeitar a opinião da maioria, e esse é o motivo que viemos aqui ouvir a comunidade”, apontou o prefeito.

Agora, o próximo passo do governo municipal é fazer o projeto para reforma da escola, que será elaborado pela Secretaria de Planejamento. “A perícia foi fundamental também para nos apontar todos os problemas de infraestrutura que precisam ser corrigidos, e a levaremos em conta na elaboração do projeto”, revelou o secretário de planejamento da prefeitura, Everaldo Lourival Francisco, o Bodo.

A intenção do governo é que a obra esteja pronta em 2018. Um dos principais desafios da reforma será a substituição total da cobertura, que está totalmente condenada, e cujo risco de desabar é o motivo pelo qual a própria perícia recomenda que a escola continue interditada até que a escola seja reformada.