Postado dia 04/05/2017 às 11h11 - Atualizado em 06/05/2017 às 12h01

Estudantes da escola Manoel Henrique de Assis discutem reforma trabalhista e da previdência

Grupos contra e a favor discutiram mudanças na legislação que tem causado manifestações em todo país

Na última sexta-feira, dia 28, os alunos da escola estadual Manoel Henrique de Assis não passaram indiferentes ao debate sobre as reformas da previdência e trabalhista que são discutidas pelo Congresso Nacional e que tem suscitado inúmeras manifestações em todo país.

Foi promovido um debate entre os estudantes do ensino médio da unidade escolar sobre as reformas. O trabalho foi conduzido pela psicóloga Jussara Spolaor, do CRAS, o psicólogo Cláudio de Souza Limeira, do CREAS, e a assistente social Juliana da Silva Santana.

A dinâmica usada foi a de “júri popular”, colocando a discussão em julgamento. Os estudantes foram divididos em quatro grupos: Um grupo a favor das reformas, um grupo contra as reformas, um grupo composto por jurados, e o outro representando a população em geral.

Foram distribuídos textos explicando sobre as reformas e a greve para os estudantes. Depois de um debate nos subgrupos, foi feita uma apresentação do julgamento, marcado por um intenso debate entre os favoráveis e os contrários. Foi aberto então para perguntas da população e ao final, os jurados se reuniram e chagaram num consenso, em que os argumentos contra as reformas venceram. Muitos alunos fizeram cartazes e se manifestaram durante o debate, como num legítimo manifesto popular.

Após o veredicto, foi feita uma discussão coordenada pelos professores, onde foram explicadas as alterações nas leis trabalhistas e da previdência recentemente aprovadas pelo congresso. Para os organizadores, esse debate foi um importante espaço para promover politização entre os estudantes, despertando o espírito cívico e a preocupação com os assuntos da coletividade aos alunos.