Postado dia 12/10/2016 às 14h21 - Atualizado em 13/10/2016 às 15h58

Comunidade se revolta com cancelamento de consultas

Prefeitura cancela contrato com médicos especialistas

Nos últimos dias, dezenas de pessoas tem procurado a imprensa e se manifestado nas redes sociais para protestar contra o cancelamento de exames e consultas de média e alta complexidade na rede pública municipal de saúde. Dois dias depois das eleições, o prefeito Evandro Eredes dos Navegantes (PSDB), cancelou o contrato com a Clínica Adhoniram, que prestava esses serviços terceirizados para município, levando ao cancelamento de consultas que já estavam marcadas e cujos pacientes esperavam a meses pelo atendimento. A clínica realizava exames de endoscopoia, ultrassonografia, algumas pequenas cirurgias, e outras consultas de média complexidade.

O governo municipal alega que tem que cortar despesas a fim de equilibrar as contas até o fim da gestão, em dezembro, e que a redução de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) desde agosto pelo governo federal, afetou drasticamente o orçamento da prefeitura, que contava com esse dinheiro.

No entanto, a situação da saúde em Penha é ainda mais grave, com falta de medicamentos nos postos de saúde e pronto-atendimento, material de trabalho, material de limpeza, e até o soro já não há mais. Nem curativos estão sendo mais feitos na rede municipal, pela falta de ataduras e gaze.

O caos na saúde foi assunto na câmara de vereadores na última segunda-feira, dia 10, quando a vereadora Maria Juraci (PMDB) exigiu que o diretor técnico da secretaria da saúde notificasse o conselho municipal de saúde. “Nossa saúde está abandonada, um verdadeiro descaso com a população”, lamentou.

O vereador Sérgio de Mello (PMDB) adiantou que nesta quinta-feira, 13, ele e Juraci levarão uma denúncia formal ao Ministério Público Estadual. “Se a administração atual precisa cortar gastos, os serviços básicos precisam ser garantidos, como saúde, educação e bem estar social. Isso não pode ser mexido, a população não pode sofrer por revanchismo”, comentou. O objetivo da representação é forçar a administração a continuar garantindo os serviços de saúde pública do município.