Postado dia 26/07/2017 às 18h42 - Atualizado em 29/07/2017 às 12h12

Penha vai implantar programa de controle populacional de cães e gatos

Projeto inovador promoverá castração em massa de animais domésticos diretamente nos bairros
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Penha

O prefeito Aquiles da Costa e o vice-prefeito Lindomar Schulle assinaram, na última segunda-feira, dia 24, contrato com a SOS Containers, empresa vencedora da licitação para locação do compartimento que vai abrigar o programa de Controle Populacional de Cães e Gatos no município.

O programa trata-se de um projeto inovador não só em Penha, mas em toda região e boa parte do estado: “Vai ser uma política efetiva de controle populacional de cães e gatos, não apenas com medidas paliativas, mas com ações que realmente surtam efeito”, anunciou o prefeito Aquiles.

Até então, Penha terceirizava o serviço de esterilizações, que eram feitas por clínicas particulares, atingindo em média pouco menos de 25 atendimentos por mês. “Esse número é muito pouco para combater o problema em Penha, que como todo o Brasil tem superpopulação de cães e gatos”, relata o veterinário Michael Russi, que coordenará o programa, em conjunto com a vigilância sanitária e secretaria de saúde do município.

O objetivo do novo programa da prefeitura é efetivar a esterilização de pelo menos 150 animais por mês.

A vigilância sanitária recomendou que uma unidade móvel seria a forma mais efetiva de levar o programa a todo município, e por isso, a locação do container que vai abrigar o ambulatório de veterinária, que irá não só fazer castrações, mas também dar atenção básica de saúde animal, tratando de zoonoses e prestando orientação à população.

“A unidade móvel ficará por pelo menos três meses, ou mais, ou menos, conforme a necessidade, em cada localidade”, explica Michael. A prioridade será as famílias de baixa renda, e por isso o projeto vai começar no Mariscal.

Além da esterilização, o programa de controle também consiste em campanhas de conscientização junto a comunidade e combate contra o abandono de animais: “A castração em massa é uma medida impactante e de grande importância, mas não basta. Temos que passar noções de guarda com responsabilidade para a população. E combatendo zoonoses, dando uma assistência veterinária gratuita, muitas vezes conseguimos também evitar o abandono de animais que são largados porque tem bicheira ou sarna”, comentou o veterinário.

O programa também fará um censo, em cada região que visitará, para apurar o número exato de animais em Penha, e com esses números aperfeiçoar as estratégias no combate à superpopulação de cães e gatos. A perspectiva é que em alguns anos a cidade já possa contar com microchips instalados nos animais, também para combater o abandono, além de parcerias com o vídeo-monitoramento para identificar infratores que vem até Penha para largar animais aqui.

A prefeitura ainda terá que contratar mais um veterinário e um auxiliar para ajudar Michael no programa, além de montar todo ambulatório no container. A perspectiva da vigilância sanitária é que até outubro o programa esteja funcionando.