Postado dia 20/04/2017 às 10h02 - Atualizado em 21/04/2017 às 12h51

Rede Pública de Saúde de Penha recebe medicamentos

Remédios estavam em falta desde o ano passado
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Penha

A espera dos pacientes que buscavam medicamentos gratuitamente na rede pública municipal de saúde terminou. Na tarde da última segunda-feira, dia 17, finalmente chegou o primeiro lote de remédios e material médico comprados emergencialmente pela Secretaria Municipal de Saúde.

Desde o ano passado, os usuários da rede de saúde reclamavam da falta de medicamentos e cobravam pela solução do problema. “Isso levou mais tempo que gostaríamos porque tivemos de fazer um levantamento sobre que medicamentos estavam vencidos no depósito da secretaria de saúde e o que faltava nos postos”, explica o secretário de saúde e vice-prefeito de Penha, Lindomar Schulle.

A transparência e lisura do processo de compra foram outros motivos citados pelo vice-prefeito. “Essa burocracia é natural e cada vez mais necessária, porque hoje é cada vez mais cobrado economia dos cofres públicos e honestidade nos processos de compra”, comentou Lindomar.

Os medicamentos são dos mais variados tipos, de analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, até material hospitalar, e podem ser adquiridos pelos pacientes em todas as unidades de saúde de Penha, mediante apresentação de receita médica. “Estamos fazendo um controle com cadastro de todos os pacientes”, lembrou Lindomar. “Por enquanto ele continua sendo manual, mas as equipes das unidades de saúde já estão sendo treinadas para utilizarem o sistema eletrônico, que já está em implantação”, divulgou o secretário.

Além da compra emergencial, a prefeitura realizou nessa mesma semana o pregão para licitação da compra de remédios para o ano todo. “Essa compra que fizemos tinha por objetivo só abastecer a rede de saúde para que não faltassem remédios enquanto acontece o processo licitatório”, explicou o vice-prefeito.

O pregão licitou 242 itens, dos quais 43 fracassaram, e terão que ser licitados novamente. O valor na ata de registro dos itens aprovados foi de 907.175,13 reais. Os itens estavam inicialmente cotados em 5 milhões, 686 mil, 539 reais e 15 centavos. “Conseguimos uma economia de 4 milhões, 779 mil, 364 reais e 2 centavos”, comemora o coordenador da secretaria municipal da fazenda, Leandro de Lima Borba, que foi pregoeiro da licitação. O processo licitatório visa a compra de medicamentos para a farmácia de atenção básica da rede municipal de saúde e também do pronto-atendimento.