Postado dia 13/04/2017 às 10h08 - Atualizado em 14/04/2017 às 11h21

Secretaria de Saúde reativa NASF em Penha

Núcleo de Apoio a Saúde da Família estava desativado desde o ano passado
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Penha

Mais uma ação da rede pública municipal de saúde de Penha foi reativada nesta semana: O Núcleo De Apoio à Saúde da Família (NASF), uma equipe composta por profissionais da própria rede, que prestam apoiam e coordenam as ações das equipes de estratégia de saúde da família (ESFs). Criado pelo Ministério da Saúde com o objetivo de ampliar a abrangência e ações da atenção básica, o NASF deve buscar contribuir para a integralidade do cuidado aos usuários do SUS, principalmente por intermédio da ampliação da clínica, auxiliando no aumento da capacidade de análise e de intervenção sobre problemas e necessidades de saúde, tanto em termos clínicos quanto sanitários e ambientais.

Depois de um período desativado desde o ano passado, o NASF foi rearticulado pela nova gestão da secretaria municipal de saúde. O principal objetivo do novo coletivo é que o núcleo de apoio passe a funcionar mais de acordo com as orientações do Ministério: “A implantação do NASF em Penha é um processo que não vem de hoje, mas acredito que estamos chegando perto do ideal”, diz a enfermeira Ivia Rodrigues, coordenadora do núcleo.

Fazem parte do coletivo de Penha uma equipe composta por 2 fisioterapeutas, três psicólogos, um farmacêutico, dois fonoaudiólogos, uma enfermeira e dois médicos. Na primeira reunião do novo NASF, foram ouvidos os profissionais das equipes de Saúde da Família (ESF) do centro. “Resolvemos começar por aqui, porque é onde há maior número de atendimentos de saúde, maior população com doenças crônicas e da terceira idade”, explica Ivia.

O encontro aconteceu na sede do CEFIR (Centro de Fisioterapia) na manhã da última terça-feira, dia 10. A mesma reunião será feita com os demais ESFs nas próximas semanas.

“Queremos identificar os problemas e as demandas enfrentadas pelas equipes de estratégia de saúde da Família, e articular soluções para melhorar o trabalho prestado pela rede pública”, explanou Ivia. “É ouvindo esses profissionais que lidam diariamente com a saúde da população que teremos essas informações tão necessárias para buscarmos um serviço melhor aos cidadãos”, finalizou.