Postado dia 21/11/2017 às 21h18 - Atualizado em 21/11/2017 às 21h20

Ministério Público investiga morte de homem que foi baleado por engano em ação do Bope

Fonte: Rádio Aquarela FM

O Ministério Público abriu investigação sobre a morte do homem de 44 anos que teria sido baleado por engano por policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Especiais) quando eles trocavam tiros com bandidos que tentaram assaltar uma agência bancária no centro de Balneário Piçarras, na madrugada de quinta-feira (16). Dois suspeitos da tentativa de roubo morreram no confronto.

Os promotores deram dez dias para o Bope apresentar informações sobre a operação e pedem ainda que o IGP (Instituto Geral de Perícias) faça com urgência exame nas mãos de todos os mortos na ação para saber se eles fizeram disparos de arma de fogo. A Polícia Civil já investiga a ocorrência, assim como a Polícia Militar, por meio de um Inquérito Policial Militar (IPM).

José Manoel Pereira, de 44 anos, o Mozeca, estava em um carro com três familiares na hora do confronto do Bope durante a tentativa de roubo. A família diz que os quatro ocupantes do veículo foram confundidos com bandidos e baleados por engano. Os policiais militares afirmam que revidaram contra um veículo que teria aberto fogo contra eles. Atingido na nuca, Pereira estava em coma induzido, mas não resistiu e morreu na sexta-feira (17). Ele foi baleado na cabeça.

Conforme o Comando do Bope, a ação aconteceu para combater a organização criminosa que pratica roubo a bancos na região. Os policiais da tropa especial chegaram no lugar para fazer a prisão dos suspeitos, mas foram recebidos com tiros. Dois assaltantes foram mortos durante o confronto e um terceiro se entregou sem estar armado. A morte de José Manoel Pereira – que estava dentro de um veículo próximo do local – será investigada por meio de Inquérito Policial Militar (IPM), já que outras equipes da PM também atuaram durante a operação.