Postado dia 28/11/2017 às 19h00 - Atualizado em 28/11/2017 às 19h05

Capital Inicial traz o rock de volta a Festa Nacional do Marisco

Banda brasiliense fundamental na história do rock brasileiro faz show no dia 08
Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Penha

Após anos de domínio exclusivo da música sertaneja, o palco principal da Festa Nacional do Marisco, o maior evento gastronômico e cultural de Penha, volta não só a ter uma banda de rock, mas possivelmente um dos mais importantes conjuntos do gênero no país.

O Capital Inicial é da mesma geração da Legião Urbana e dos Paralamas do Sucesso, outras bandas que saíram de Brasília para mudar a cara da música brasileira. O grupo foi formado em 1983 por Dinho Ouro Preto (vocal), Loro Jones (guitarra) e os irmãos Flávio (baixo) e Fê Lemos (bateria), os dois últimos oriundos do Aborto Elétrico, a lendária primeira banda liderada por Renato Russo – como contado no filme “Somos tão Jovens”.

O repertório do Aborto Elétrico acabou dividido pela Legião Urbana – Que País é Este, Tédio com um T, Química, Conexão Amazônica – e Capitão Inicial, que teve ali seus primeiros sucessos: Música Urbana, Veraneio Vascaína, Fátima e Ficção Científica.

O primeiro LP, lançado em 1986, projetou já a banda a nível nacional, apesar do disco ter uma música censurada até 1988, e só poder ser vendido para maiores de 18 anos.

Seguiram-se os discos Independência (1987), Você não precisa entender (1988), Todos os Lados (1989) e Eletricidade (1991), que emplacaram sucessos como Independência, Autoridades Incompetentes, Fogo, Belos & Malditos, Todas as Noites, Kamikaze, Cai a Noite e O Passageiro.

Disputa de egos levaram o vocalista Dinho Ouro-Preto a sair da banda e tentar a carreira solo e após um disco fracassado do Capital com um novo vocalista, o grupo parecia que iria conhecer seu fim, quando o quarteto da formação original se reconciliou e voltou em 1998, com o disco “Atrás dos Olhos”, onde emplacaram as músicas “O Mundo” e “Eu vou Estar”.

Mas foi com o Acústico MTV, lançado no ano 2000 que a banda já veterana enfim conseguiu seu maior período de sucesso, tornando-se o grupo de rock mais popular do Brasil ao conquistar toda uma nova geração de fãs, com a redescoberta de suas antigas músicas e novos sucessos como “Natasha” e “Primeiros Erros”.

Com a entrada de um novo guitarrista, Yves Passarell, a banda reuniu à espontaneidade do punk com a influência Beatles do novo rock britânico (Oasis, Radiohead, Blur). O resultado foi um Capital Inicial reinventado para um novo milênio. Foi com essa estética que se seguiram os novos discos de estúdio: Rosas e Vinho Tinto (2002), Gigante (2004), MTV Especial: Aborto Elétrico (2005) e Eu Nunca Disse Adeus (2007), que emplacaram sucessos como À Sua Maneira, Como Devia Estar, Algum Dia, Mais, Quatro Vezes Você, Olhos Vermelhos, Respirar Você, Não Olhe pra trás e Eu Nunca Disse Adeus.

A banda agora está na estrada divulgando mais um disco acústico, agora um álbum duplo, onde antigos e novos sucessos se misturam, mostrando um panorama de mais de 30 anos de carreira, para fãs de todas as gerações.

É um pedaço da história do rock brasileiro que os fãs poderão conferir no próximo dia 08 de dezembro, sexta-feira, a partir das 22h30, no segundo dia da 21ª Festa Nacional do Marisco. Outras atrações podem ser conferidas na mesma noite, com exposições, atrações culturais e show com a banda Cor do Sol no pavilhão gastronômico, a partir das 20h30.

Os ingressos para esse espetáculo podem ser adquiridos em Penha no Supermercado Silva, Posto Avenida e no próprio pavilhão da festa que começará semana que vem a vender ingressos. Os valores vão de 25 a 140 reais, dependendo da colocação dos expectadores na pista.